Grupo RL

Notícias na Brás

Listando: 1 à 5 de 1121
Conhece-te a ti mesmo

Um dos aforismos mais famosos da história, “conhece-te a ti mesmo”, encontrava-se no pórtico de entrada do templo do deus Apolo, na cidade de Delfos na Grécia, no século IV a. C.

Lembre que um aforismo é um pensamento expresso de maneira breve.

Essa frase foi atribuída a várias figuras gregas e não possui ao certo um autor. É possível que tenha como origem um dito popular grego.

Ao longo do tempo, essa sentença foi apropriada por muitos autores, o que levou a algumas variações. Um exemplo dessa apropriação é sua tradução para o latim: nosce te ipsum e, também, temet nosce.

De qualquer forma, a frase foi compreendida como um oráculo (mensagem do deus) de Apolo para todas as pessoas.

Sendo assim, a grande tarefa da humanidade, segundo o deus Apolo, seria buscar o conhecimento de si e, a partir daí, conhecer a verdade sobre o mundo.

O deus Apolo era conhecido por ser o deus da beleza, da perfeição e da razão. Por esse motivo, era um dos deuses mais cultuados da Grécia Antiga.

A razão, relacionada a Apolo, foi primordial para o desenvolvimento da filosofia. O caráter reflexivo da filosofia e a busca pelo conhecimento e pela verdade encontram em Apolo um referencial.

Conhece-te a ti mesmo e Sócrates
O filósofo Sócrates (c. 469-399 a.C.) é quem tornou mais evidente essa ligação entre o deus e a filosofia nascente.

Foi Querofonte, seu amigo, que em uma visita ao oráculo de Delfos, perguntou à pitonisa (sacerdotisa que recebe a mensagem dos deuses e transmite aos mortais) se havia no mundo alguém mais sábio que Sócrates. A resposta do oráculo foi negativa, não havia ninguém mais sábio que Sócrates.

Ao receber essa mensagem de Querofonte quando regressou a Atenas, Sócrates passou sua vida a tentar contestar o oráculo.

O filósofo não compreendeu como ele poderia ser compreendido como o mais sábio. Julgava não ser detentor de nenhum conhecimento.

O filósofo considerava-se apenas uma pessoa comum com o difícil propósito de buscar o conhecimento verdadeiro.

Essa contestação teria levado Sócrates a proferir a famosa frase:

Só sei que nada sei.

Intrigado com a mensagem do oráculo, o filósofo procurou todos os sábios de Atenas para que esses pudessem mostrar-lhe o que era o conhecimento.

Sócrates fazia-lhes perguntas sobre temas morais como a virtude, a coragem e a justiça, na esperança de que essas pessoas, reconhecidas pela sabedoria, pudessem ajudá-lo na busca pela verdade.

No entanto, ele sentiu-se frustrado ao perceber que essas autoridades gregas possuíam uma visão parcial da realidade, sendo capazes, apenas, de dar exemplos de alguém virtuoso, corajoso ou justo.

A partir desses encontros, Sócrates percebeu que esses sábios não passavam de pessoas com uma interpretação errada sobre o conhecimento, repletas de preconceitos e falsas certezas.

O filósofo compreendeu que a mensagem do oráculo dizia respeito ao fato dele possuir um autoconhecimento e compreender a sua própria ignorância, tornando-o mais sábio que os outros.

Sócrates dá origem ao período antropológico da filosofia grega. Ou seja, a partir da ideia de que o autoconhecimento, o conhecimento de si, é a base para todos os outros conhecimentos sobre o mundo.

Essa frase faz uma referência ao oráculo e sua inscrição “conhece-te a ti mesmo”. O autoconhecimento e a tomada de consciência da própria ignorância são as bases do método socrático.

Somente após abandonar os seus preconceitos que o sujeito está apto para buscar o conhecimento verdadeiro.

Conhece-te a ti mesmo e a filosofia

A filosofia nasce a partir da reflexão, ou seja, do olhar para dentro. Faz-se necessário refletir sobre o que significa, de fato, conhecer alguma coisa. A partir daí, construir bases para todos os tipos de conhecimento.

A extensão da frase atribuída a Sócrates é conhecida como:

Conhece-te a ti mesmo e conhecerá o universo e os deuses.

Sendo assim, o motor da filosofia é o “conhece-te a ti mesmo” do próprio conhecimento, é o pensamento voltado para si. Busca no entendimento, as bases que fundamentam o saber.

Por conta disso, todas as áreas do saber são também áreas próprias da filosofia e seu

Conhece-te a ti mesmo, Mito da Caverna e Matrix
No clássico da ficção científica, Matrix (1999), o roteiro das irmãs Lilly e Lana Wachowski toma por base o Mito da Caverna, de Platão.

Em ambas as histórias, grupos de seres humanos encontram-se prisioneiros sem tomarem consciência disso, por viverem em um simulacro da realidade.

Em Platão, a simulação de realidade é dada pelas sombras projetadas no fundo da caverna e tomadas como sendo o todo da realidade.

Já no filme, Matrix, os impulsos eletromagnéticos são produzidos por máquinas e ligados ao cérebro dos prisioneiros. Isso os leva a experimentar uma sensação de realidade produzida e controlada por computadores.

No Mito da Caverna, um dos prisioneiros questiona sua condição e encontra meios de se libertar. Algo semelhante ocorre com Neo, protagonista do filme. Sua atuação como hacker chama atenção de um grupo de resistência que lhe dá o direito de escolher entre a hostilidade do real e o conforto da falsidade.

As semelhanças continuam e as diretoras do filme explicitam essa relação em uma das cenas. Neo vai consultar um oráculo. Nesse local, numa versão moderna do templo de Apolo, em cima da porta lê-se a mensagem temet nosce ("conhece-te a ti mesmo" em latim), numa clara referência às semelhanças entre Neo e Sócrates.

A exemplo dos gregos antigos, Neo encontra o oráculo e recebe uma mensagem enigmática acerca do destino e da possibilidade, ou não, de controlar a própria vida.

O mote central de ambas as histórias, diz respeito à busca pelo conhecimento de si. A partir daí, o indivíduo liberta-se da opressão e do controle do que é falso para compreender o que, de fato, é real.

A consciência de si

A pergunta "quem sou eu?" ou "quem somos nós?" é uma das questões primordiais, metafísicas, que deram um ponto de partida para a filosofia e toda a produção de conhecimento. O "nós e o universo" é a meta do conhecimento que movimenta todos os dias a produção de ciência no mundo.

Química, física, medicina, psicologia, sociologia, história e todas as outras ciências, cada uma a seu modo, possuem como ponto em comum a proposta inscrita no templo de Apolo.

Ainda que não se tenha chegado à resposta definitiva para essa questão, sua busca e a necessidade de conhecer a si mesmo, constroem e modificam o modo de pensar e de compreender a realidade.

Em outras palavras, a busca pelo conhecimento, desde os gregos antigos até as sondas espaciais ou a decodificação do genoma humano, atendem à questão do "conhece-te a ti mesmo".

(Fonte: Escrito por Pedro Menezes) - 16/09/2021
6 sextechs brasileiras que estão transformando a experiência da intimidade e do autocuidado

O mercado do prazer é tão inovador quanto o da tecnologia. Sextoys inteligentes, streamings de áudio erótico, cosméticos veganos e vibradores controlados a distância já são realidade em todo o mundo, criados para estimular a vida sexual e despertar novas formas de intimidade e autocuidado.



Para Marília Ponte, da Lilit, ser plenamente satisfeita, saber o que deseja e experienciar isso na prática contribui para maior liberdade, prazer e autonomia

“Quando trazemos a temática da sexualidade para a dimensão do bem-estar, saindo um pouco dos estigmas do erótico e da pornografia, o mercado começa a se abrir”, diz Lidia Cabral, fundadora da plataforma Tech4Sex, criada para fomentar o ecossistema de sextechs no Brasil. “Temos legaltechs, fintechs,

healthtechs, mas também temos as sextechs, um segmento de enorme potencial que, aos poucos, começa a ser reconhecido pelo mercado assim como qualquer outro negócio.”

Siga todas as novidades do Forbes Tech no Telegram

A tendência observada pela especialista reflete-se nos últimos dados do instituto Allied Market Research sobre o setor de sexual wellness (bem-estar sexual), que tem a previsão de alcançar faturamento de US$ 108 bilhões em 2027 globalmente. Segundo Lidia, a pandemia teve um papel importante para o crescimento do segmento. “No último ano, as pessoas que estavam sem sair de casa tiveram que buscar outras formas de se relacionar, ressignificando sua intimidade”, explica.

E foi um boom significativo. Se em 2019 o setor, como um todo, registrou um salto de 8% em relação ao ano anterior, segundo a Abeme (Associação Brasileira de Empresas do Mercado Erótico), em 2020 a procura por produtos relacionados à sexualidade feminina cresceu bem mais do que isso: segundo a associação, o setor teve um aumento de 12% durante a pandemia, em relação ao mesmo período do ano anterior.

Entre março e junho do ano passado, mais de 1 milhão de vibradores foram vendidos por aqui, um volume 50% maior do que na mesma época do ano anterior, de acordo com o portal “Mercado Erótico”. “Até o ano passado, as pessoas achavam que o sexo remoto se limitava ao envio de fotos, vídeos e mensagens de áudio.

Agora, a tecnologia leva o sexo virtual para um outro nível, com produtos via bluetooth, devices personalizados e plataformas de jogos onde o usuário pode ter novas experiências por meio de avatares.”

Marília Ponte, fundadora da marca de sexual wellness Lilit, reconhece que o movimento só é possível graças a ações lideradas por e para mulheres. “A presença feminina no setor é cada vez mais forte, com empreendedoras abrindo novos negócios e fugindo da imagem estereotipada sobre satisfação e bem-estar. Isso faz muita diferença, porque elas sabem quais são as dores e necessidades umas das outras”, explica.

Para a executiva, o mercado envolve muito mais do que o sexo por si só. “Ser plenamente satisfeita, saber o que deseja e experienciar isso na prática é algo que transborda para outras áreas da vida, como trabalho, relacionamentos pessoais e até na autoconfiança. É uma questão de liberdade, prazer e autonomia.”

Neste Dia do Sexo, a Forbes selecionou seis startups brasileiras que estão transformando o mercado de bem-estar sexual. Confira, na galeria a seguir, quais são elas:

Lilit

“Só seremos realizadas quando todas nós pudermos experimentar a intimidade que desejamos: livre e prazerosa”. Essa é a frase estampada no site da Lilit, uma marca paulistana de vibradores criada para apoiar a intimidade das mulheres.

Fundada em 2019 por Marília Ponte, a empresa faturou quase R$ 450 mil logo no primeiro ano – o suficiente para que a empreendedora largasse o emprego anterior e investisse todas as suas fichas no mundo dos negócios. “Não é só sobre o sexo, mas sobre o nosso bem-estar e direito de sentir prazer. A Lilit nasceu para colocar a intimidade nas nossas próprias mãos”, diz.

Com o tempo, a marca expandiu o portfólio. Além do Bullet, mini vibrador de clitóris com cinco estágios de vibração, recarregável e resistente à água, a startup oferece também conteúdos gratuitos, como um ebook de contos eróticos pensados para inspirar e despertar a imaginação na hora do prazer e livros online com técnicas de masturbação guiada, dicas e exercícios práticos para atingir o orgasmo feminino.

Tela Preta

Lançada em abril de 2020, a startup Tela Preta opera como uma plataforma com mais de 150 áudios eróticos narrados por vozes masculinas e femininas, com diferentes timbres, sotaques e orientações sexuais. Para atender aos mais de 5.000 assinantes, novos áudios são disponibilizados a cada semana, podendo ser acessados em planos mensais a partir de R$ 14,99.

A ideia surgiu depois que o empreendedor Fábio Chap publicou em grupos de redes sociais contos eróticos narrados por ele mesmo. A partir dali, enxergou uma grande oportunidade de negócio e se juntou ao programador Samuel Aguiar, ao produtor de áudio Guilherme Nakata e à designer e criadora de conteúdo Laís Conter. “Muitas mulheres héteros entre 20 e 50 anos relatam ter conseguido alcançar os melhores orgasmos de suas vidas com os áudios. Outras pessoas dizem que já haviam desistido de suas vidas sexuais, mas voltaram a sentir desejo com as narrações. Além da parte sexual, também contribuímos para uma melhor
qualidade de vida para muitas pessoas”, afirma.

Com 2.500 assinantes e projeção de dobrar esse número até o final de 2021, a plataforma disponibilizou recentemente um serviço para que o usuário encomende, por R$ 597, seus próprios contos eróticos personalizados de acordo com suas fantasias. A startup paulistana faturou R$ 220 mil no primeiro ano, e a expectativa é que este número salte para R$ 500 mil até abril de 2022.

Dona Coelha

A Dona Coelha Sex Shop é especializada em vibradores, sex toys e produtos eróticos com entregas para todo o Brasil, com embalagens discretas para evitar qualquer tipo de constrangimento. Fundada em 2011 na cidade de São Paulo pela sexóloga Natali Gutierrez (foto) e o empreendedor Renan de Paula, a companhia começou como um blog, onde eles compartilhavam suas experiências com sexshops e brinquedos sexuais. Hoje, a Dona Coelha opera com uma plataforma de e-commerce, com opções para todos os gostos e interesses.

Além dos sextoys, a empresa tem uma linha de géis excitantes, massagem tântrica, lubrificantes, vibrador líquido, lingerie e fantasias e retardante masculino, entre outras ofertas. Uma das apostas da sextech é o vibrador controlado remotamente via aplicativo, com novos programas de vibração e conectividade com playlists no Spotify e vibrações que acompanham o ritmo das músicas. “Os brinquedos high tech são uma grande sacada para esquentar a relação, seja a distância ou até mesmo em locais inusitados. O companheiro poder controlar o prazer da parceira, deixando a brincadeira ainda mais divertida”, comenta Natali.

Pantynova

Descontentes com as soluções de intimidade e prazer disponíveis no mercado, Izabela Starling e Heloisa Etelvina decidiram criar a própria marca de produtos de sexual wellness. Batizada de Pantynova, a companhia oferece uma coleção de vibradores, dildos, calcinhas strapon e lubrificantes para incrementar a experiência sexual.

Com sede em São Paulo, a startup foca na inclusão, criando um ambiente online onde pessoas LGBTQIA+ também se sintam seguras, confortáveis e representadas.

Além dos produtos e sextoys, a marca disponibiliza uma variedade de contos eróticos gratuitos, com conteúdos para todos os públicos. A startup soma mais de 60 mil pantylovers, apelido carinhoso atribuído a seus clientes, em todo o Brasil.

Share Your Sex

Esta é uma plataforma de streaming de áudios focada 100% no prazer das mulheres, com conteúdos livres de objetificação e fetichização. Fundada por Mariah Prado, em São Paulo, a startup disponibiliza narrações de quatro a 16 minutos, ideais para uma rotina mais agitada.

Com a missão de empoderar por meio do autoconhecimento e da liberdade, as produções envolvem meditações para o relaxamento, energia sexual e percepção do corpo. A startup também desenvolve conteúdos educativos, como ebooks sobre sexo anal, feitos com o apoio de fisioterapeutas pélvicas e ginecologistas para solucionar eventuais dúvidas das clientes.

Os planos variam de R$ 9 por semana a R$ 139 ao ano, todos com acesso ilimitado aos áudios eróticos, masturbações guiadas, meditações focadas e novas narrações a cada semana. Há, ainda, um blog com conteúdos sobre cuidados com o vibrador, guia do lubrificante, dicas para o sexo menstruada, disfunção sexual e até como aumentar a libido.

Feel

Criada em outubro do ano passado com a missão de levar saúde e bem-estar à rotina das mulheres, a Feel desenvolve cosméticos naturais, veganos e saudáveis, para potencializar a sexualidade feminina. Idealizada por Marina Ratton, a marca paulistana esgotou os primeiros 500 produtos do estoque em apenas duas semanas, resultando em um crescimento de 200% nos primeiros 12 meses.

Seus pilares são confiança, autonomia e liberdade, refletidos no óleo feminino multifuncional Relief & Free e no lubrificante hidratante íntimo Moist & Feel.

Em maio, a startup concluiu sua primeira rodada de investimentos, feita por meio da plataforma de equity crowdfunding Wishe Women Capital. A operação levantou R$ 550 mil, com 84% do financiamento realizado por mulheres. Com a captação, a empresa pretende lançar três novos produtos ainda este ano.

(Fonte: Gabriela Del Carmen) - 16/09/2021
100% natural: nova campanha da cerveja Corona celebra conexão com a natureza

Só um mundo cheio de paraísos naturais como o nosso pode inspirar a criação de uma cerveja como Corona – é essa a mensagem de “Natural”, nova campanha da Corona que acaba de estrear no Brasil. Nascida na praia, a cerveja criada no México em 1925 sempre encontrou sua inspiração na natureza, convidando o público a se conectar com o mundo natural. Mas além de chamar as pessoas a apreciarem e cuidarem desse mundo, Corona também é feita dele.

Criada há mais de 90 anos, Corona construiu um legado como uma cerveja premium de alta qualidade, conectada à natureza tanto em sua essência quanto em sua composição. Mesmo depois de tanto tempo, sua receita continua sendo exatamente a mesma: a cerveja que chega às mãos do consumidor é 100% natural – até o toque final que faz parte do ritual de Corona, com uma fatia de limão no gargalo, celebra essa ligação.

“Corona tem se dedicado a conectar o público à natureza e convidar as pessoas a enxergarem mais significado na vida vivida do lado de fora, o que sabemos que hoje tem uma importância ainda maior. Por isso estamos colocando para fora o que sempre fomos por dentro”, conta João Pedro Zattar, head de marketing de Corona. A partir da nova campanha, até a embalagem que envolve as tradicionais long necks de Corona ganharam um visual alinhado à essência natural da cerveja, passando a mostrar esses atributos de forma mais clara para os consumidores.

No momento em que as pessoas buscam aos poucos se reconectar com a natureza, Corona celebra sua ligação genuína com tudo que, assim como ela, é 100% natural: começando pelos ingredientes e passando pelas ações de proteção dos paraísos naturais até chegar às experiências que ligam o público à vida do lado de fora. Com peças de 6”, 15? e 30? produzidas para Facebook, Instagram e YouTube e comunicação out of home, a campanha pode ser conferida AQUI.



Corona protegendo os paraísos naturais
Ainda neste ano, Corona se tornou a primeira marca global de bebidas neutra em resíduos plásticos – o que significa que hoje a cerveja da Ambev recupera e recicla mais plástico do que libera para o mundo por meio de sua cadeia de produção e distribuição – e instalou dois containers em Fernando de Noronha (PE) e Trancoso (BA) para coleta, reciclagem e transformação de plástico, que juntos têm capacidade para processar até 3 toneladas de plástico por mês. Mas seus esforços pela preservação dos paraísos naturais vêm desde 2017, quando a marca se uniu à Parley for the Oceans para comandar ações de conscientização e limpeza de praias.

No Brasil a parceria acontece desde 2019 com mais de 25 forças-tarefa que percorreram 1,2 milhão de m² de praias, recolhendo 5,4 toneladas de lixo descartados de forma irregular na natureza. A Corona ainda é patrocinadora de todas as etapas mundiais da Liga Mundial de Surfe (WSL), apoiando um dos esportes que mais conecta as pessoas ao mar e à natureza.

(Fonte: Nicole Fanti Siniscalchi) - 08/09/2021
Consumo digital nas áreas de Beleza e Casa disparam na pandemia

Com o pandemia e o crescimento do e-commerce, surgiram novas demandas para as áreas de Beleza e Casa, devido ao novo comportamento do consumidor

Durante a pandemia, diversas áreas cresceram de forma massiva, principalmente no meio digital. Dentre estes setores, destacam-se as áreas de Beleza e Casa, que foram impulsionados com o desenvolvimento do e-commerce durante o atual período pandêmico.

Logo após, as marcas notarem tal crescimento de consumo, as empresas elaboraram novas estratégias para abordar os consumidores. Contudo, é necessário que a agência contratada pela marca consiga suprir suas necessidades, que crescem constantemente. Dessa forma, é necessário um estudo detalhado, tanto do público consumidor, quanto das necessidades da marca.

Entre as agências que tem conseguido cumprir com todas estas demandas está a Gotcha. A agência, que oferece full service para seus clientes, está sempre atenta ao mercado, acompanhando de perto os desejos dos consumidores e trabalhando de forma estratégica e inovadora com as necessidades das marcas que representa.



Foto: Divulgação/Gotcha

Vale destacar que a agência teve um direcionamento rápido para as novas demandas, e contribuiu para seus clientes se manterem em suas jornadas de crescimento. Além disso, muitas vezes, a agência conseguiu superar metas, ao mesmo tempo em que linhas de produtos eram esgotadas em pouco tempo.

Cases da Gotcha nas áreas de Beleza e Casa
Dentre os principais clientes da Gotcha das áreas de Beleza e Casa, estão a Impala e a Moldura Minuto, respectivamente. Confira abaixo cases da Impala.

Impala: Cores que Cuidam



Segredo do sucesso
Dentre os fatores que fazem da Gotcha uma agência especialista no mercado de Beleza e Casa está, por exemplo, a habilidade de trabalhar com diversos setores ao mesmo tempo, sempre de forma eficiente. Considerando que a Gotcha é uma agência full service, ou seja, que oferece serviços para diversas áreas de seus respectivos clientes, os times assumem a missão de trabalhar com uma comunicação alinhada e eficiente, o que fazem com maestria. Entre os departamentos envolvidos, estão Atendimento, PR, Social, Criação, Planejamento.

Os cases conquistados nas áreas de Beleza e Casa pela Gotcha até aqui são exemplos de ações que as marcas devem realizar para impulsionar seus lucros e imagem. O sucesso dos clientes é consequência de uma comunicação direta e eficiente, que conta com revisão de interfaces digitais, lançamentos de campanhas, uso de redes sociais e blogs, revisão de experiência de usuário e interfaces mais intuitivas, entre outras iniciativas.

(Fonte: Wendel Martins) - 08/09/2021
Facebook testa voz e chamada por vídeo no aplicativo

O Facebook está permitindo que alguns usuários façam chamadas de voz e vídeo em seu aplicativo principal em caráter experimental, com objetivo de tornar mais fácil fazer chamadas sem abrir seu aplicativo Messenger.



A gigante da mídia social criou o Messenger a partir de seu aplicativo principal anos atrás, mas usuários têm que baixar um aplicativo separado para enviar mensagens e fazer chamadas.

O Facebook habilitou chamadas pela primeira vez entre o Instagram e o Messenger em setembro passado. A mudança permitiu que os usuários de cada serviço enviassem mensagens e fizessem chamadas de vídeo sem precisar baixar os dois aplicativos.

(Fonte: Reuters ) - 24/08/2021
Listando: 5 de 1121

Anuncie

Sobre o Portal no Brás

O Portal no Brás foi lançado em 01 de dezembro de 2016, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região NO BAIRRO DO BRÁS no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de ferramentas e ferragens.