Grupo RL

Notícias na Brás

Listando: 1 à 5 de 929
FIBRA DEVE SE TORNAR PRINCIPAL TECNOLOGIA DE BANDA LARGA FIXA NO PAÍS EM 2020

Acessos com a tecnologia vão superar os 30% de participação de mercado naquele ano, passando o xDSL, em franco declínio, e o cable modem, que perde clientes em ritmo mais lento, conforme levantamento da Teleco.

Os acessos de banda larga fixa usando tecnologia de fibra óptica devem se tornar maioria no país em 2020, conforme cálculos feitos pela consultoria Teleco e divulgados no final de semana. A estimativa é que a fibra continue a ganhar mercado sobre o xDSL, que é usado principalmente pelas operadoras Telefônica e Oi. O cabo tende a perder espaço também, mas em um ritmo muito menor.

O FTTx (fibra), que em 2016 equivalia a 6,5% dos acessos brasileiros, deve superar os 30% em 2020, um pouco mais que o xDSL e o cable modem. “Nos últimos 2 anos a fibra acumulou adições líquidas de 3,9 milhões de acessos, enquanto os acessos de pares metálicos (xDSL) encolheram em 1,1 milhão”, destaca a Teleco.

Embora Telefônica e Oi estejam migrando clientes para a fibra, são os provedores regionais de acessos que estão disseminando a fibra no Brasil. As chamadas operadoras competitivas terminaram 2018 responsáveis por 57% dos acessos em fibra. Enquanto Telefônica tinha 46% dos acessos xDSL e a Oi, 44%. “A Vivo ainda conseguiu compensar estas perdas com o crescimento dos acessos em fibra, o que não ocorreu com a Oi”, ressalta a consultoria.

O interesse por fibra parece conduzir as operadoras competitivas ao crescimento, e as operadoras tradicionais, à retração. Os ISPs foram responsáveis por 84% das 2,14 milhões de adições de 2018.

Enquanto as demais perderam clientes apesar dos esforços em migrar para FTTH.

(Fonte: DA REDAÇÃO) - 16/04/2019
O buraco negro da Galáxia M87: Os 30 pixels que encantaram o mundo - Parte 2: A Missão

Previously on Battlestar Galactica...

No artigo anterior nós vimos o básico dos buracos negros, como são formados com a morte de estrelas gigantes, hoje vamos entender como o pessoal do Event Horizon Telescope conseguiu fazer a imagem do buraco negro M87, qual a dificuldade e a importância disso tudo...
A M87, abreviação de Messier 87, ou 87o objeto no Catálogo Messier é uma galáxia que fica a 53 milhões de anos-luz da Terra, e não deve ser confundida com a Nebulosa M78, lar do Ultraman. Na foto acima ela é o ponto amarelo à esquerda, o resto é um jato de plasma emitido pelo buraco-negro gigante em seu núcleo. Ele é gigantesco, tem 1500 parsecs de comprimento, o suficiente para o Millenial Falcon fazer a Corrida de Kessel 125 vezes.

A imagem foi feita pelo Hubble, mas o segredo não é ampliação, pois galáxias não são coisas pequenas. Andrômeda por exemplo tem 3.167° de comprimento por 1° de altura. Quão grande é isso? A Lua tem 0.5° de diâmetro. isso mesmo, a Lua é bem menor do que imaginamos. De horizonte a horizonte Cabem 360 luas lado-a-lado.

Andrômeda é visível a olho nu como uma nuvem muito difusa, mas se aumentarmos seu brilho, este seria seu tamanho aparente:

Andrômeda está aqui do lado, a uns 2,5 milhões de anos-luz, e pior, está em rota de colisão com a Via Láctea, em 4,5 bilhões de anos as duas galáxias irão se mesclar em um evento catastrófico que formará uma nova estrutura. Aqui uma dramática simulação da colisão:

Já a galáxia M87, qual seu tamanho aparente? Bem, ela tem um diâmetro aparente de 7.2 minutos de arco. Comparado com a Lua esse diâmetro faria a M87 se fosse brilhante o suficiente para ser vista em detalhes ter este tamanho no céu:

Calma. Minutos, segundos, que diabo é isso?
A astronomia usa conceitos bem fundamentais de geometria, que você ainda se lembraria se seu professor não apostasse só na decoreba. São bem simples. Lembra do bom e velho transferidor?

Imagine que você está ali no meio. Olhe pra sua esquerda, reto. Agora suba o olhar, até olhar diretamente para cima. Parabéns você está olhando em um ângulo de 90 graus. Olhe para a direita, também reto. Na altura do horizonte temos 180 graus.

Como objetos no céu, ao contrário de dinossauros no retrovisor de Fords Explorers não são maiores do que aparentam, precisamos de subunidades para determinar o tamanho das coisas. Objetos grandes (ou próximos) como o Sol e a Lua podem ser medidos em minutos de arco. Um ângulo de um grau é dividido em 60 minutos de arco, ou 60.

Assim a Lua (e o Sol) tem um diâmetro aparente de 1/2 grau, ou 30 minutos. Objetos menores ou mais distantes têm diâmetro menor ainda, Marte tem diâmetro aparente de 3,5 segundos de arco, ou 3,5".

E o Buraco Negro? Bem, a galáxia M87 tem 7.2 minutos de arco de diâmetro, mas o buraco negro em seu centro tem 40 μas, ou quarenta micro-segundos de arco. Um micro-segundo de arco é um milionésimo de segundo.

Já deu pra entender, né? Você pega um céu com 180 partes. Uma dessa parte você divide em 60 partes menores. Aí divide de novo em mais 60. Então a fatiazinha você divide em um milhão. Veja a comparação entre a resolução do Hubble e a obtida pelo Event Horizon Telescope. A imagem começa com o tamanho relativo de um pixel do Hubble:

Como conseguiram então?
Imagine que você tem uma luneta bem fina. Você aponta para um carro do outro lado da rua. Consegue ver perfeitamente um detalhe da placa, mas como você está dentro de seu próprio carro, não consegue ver outras partes. Você então avança alguns metros, aponta a luneta de novo e vê outro detalhe do carro, mais um número da placa.

Volta outros tantos metros e vai aos poucos montando uma imagem do carro como um todo.

Uma boa analogia foi apresentada pela Dra Katie Bouman: Imagine um teclado onde você só consiga ouvir algumas notas. É impossível entender a música. Agora coloque mais pessoas, cada uma ouvindo algumas notas. Se todas combinarem suas observações, a música passa a fazer sentido, se torna reconhecível.

No nosso caso cada nota é um radiotelescópio, e o nome da técnica é interferometria. É usada para combinar observações de antenas individuais, formando um radiotelescópio virtual com resolução muito maior, tipo o Very Large Array, no Novo México. Sim, o usado em Contato:

São 27 antenas de 25 metros de diâmetro cada, juntas forma um círculo que pode chegar a 21km de raio. Em conjunto elas conseguem uma resolução de 0.2 segundos de arco. Veja a Galáxia M87 e seu jato de plasma superaquecido, observado pelo VLA:

0.2 segundos de arco é bom mas o buraco negro é muito menor.

Relativamente falando, claro, é um dos maiores buracos negros do Universo, com dezenas de bilhões de vezes mais massa que o Sol, com um diâmetro de 0.12 parsers, ou 0.39 anos-luz, ou 25000 Unidades Astronômicas. O Sistema Solar nas estimativas mais otimistas tem 180 UAs de diâmetro. Só que a M87 tem mais de 240 mil anos-luz de uma ponta a outra.

Como saltar se segundos de arco para milionésimo de segundo de arco? Pra isso seria necessário um radiotelescópio do tamanho da Terra, e isso é impossível, certo?

Hold My Beer, disse esse pessoal:

OK na verdade esse pessoal é apenas um dos grupos, no total foram 207 cientistas de 62 instituições em 18 países (você não, Brasil) que utilizaram 6 radiotelescópios, dois no Chile, dois no Hawaii, um na Espanha, outro no México, um no Arizona e outro no Pólo Sul.
O trabalho de coordenar as observações foi fenomenal, é preciso configurar os equipamentos para todos registrarem as exatas mesmas frequências no exato mesmo momento, mas isso é apenas o começo. Um radiotelescópio não usa luz, não produz uma imagem. O que um radiotelescópio capta é intensidade e polarização de sinais de rádio, esta é a saída de dados de um radiotelescópio:

Esses dados vieram do NRAO/SKYNET 20 Meter Geodetic Radio Telescope, um radiotelescópio na Virgínia Ocidental, neste link você acessa as observações dele em tempo real, e aqui os dados brutos.

Esses dados plotados em gráficos resultam em algo bem diferente de uma foto. Esta é a Nebulosa de Orion, vista por um telescópio óptico:

Esta é Orion "vista" pelo NRAO:

Então, como se chegou a esta imagem do buraco negro, que parece ser muito mais detalhada?

Simples (ok, palavra errada). A estrutura montada mais que dobrou a capacidade máxima de gravação de dados. Em pleno funcionamento as antenas do EHT gravavam sinais captados a uma velocidade de 64 Gbps.

Segundo um dos papers do projeto, para operações em grande altitude foram usados 128 hard disks de entre 6 e 10TB, gravando em paralelo totalizando 1PB de armazenamento. Foram 10000 horas de gravações, os discos funcionando em altitudes de até 5100m com zero falhas. Palmas pra Western Digital, que patrocinou o projeto.

O sistema de gravação de dados é uma coisa linda, ele recebe duas streams de dados a 8Gbps cada e usando conexões Ethernet de 10Gbps divide os dados entre 32 Hard Disks, que isoladamente jamais conseguiriam lidar com 16Gbps, resultando em uma condição que descrita em termos altamente técnicos seria a piada da formiguinha e do elefante.

E o tal Algoritmo?
Algoritmo é um conceito bem simples, é ensinado nos cursos de computação como uma receita de bolo, uma forma de você ensinar ao computador como fazer alguma coisa, independente de linguagem.

Digamos que eu tenha um mapa-mundi. Eu preciso pintar de azul os pixels onde for mar, e de marrom os pixels onde for terra. Se eu tiver informação de altitude de cada pixel, o algoritmo é trivial:

1 - identifique a altitude do pixel

2 - se o pixel tiver altitude acima de zero, pinte de marrom, do contrário pinte de azul

3 - repita para todos os pixels.

Claro que quanto mais complexo o cenário mais complicado o algoritmo. Em Age of Empires quando você seleciona uma unidade e a manda chegar até um determinado ponto no mapa, ela usa um algoritmo de caminho chamado A* (A-Star) criado em 1966 para o Shakey, um robô do Stanford Research Institute.

No caso do EHT era preciso um algoritmo para transformar os dados em uma imagem, mas há um problema. Há muitas variáveis arbitrárias, muitas formas pelas quais o criador do algoritmo e seus programadores podem influenciar mesmo sem-querer o resultado final.

Ah, este é um dos algoritmos usados:

O algoritmo tem que preencher muitas lacunas, e facilmente dados e ruído podem ser confundidos. A solução foi criar quatro grupos independentes usando variações dos algoritmos e cada um escolhendo por conta própria os parâmetros de configuração.

Os grupos não mantiveram comunicação entre si, para garantir a independência dos resultados.

Os resultados foram comparados e usados para criar a versão final da imagem, usando contribuições de todos os grupos. Essa é a imagem mais "auditada" da história da radioastronomia, então não poderiam dar chance ao acaso ou ao erro humano. O resultado é que o software final ficou tão bom que as simulações (nas pontas) ficaram basicamente idênticas à imagem do meio, produzida com dados

reais.

O círculo pequeno é o limite de resolução do radiotelescópio, tecnicamente, um pixel. Os contornos difusos são cortesia do algoritmo que suaviza as bordas. As variações de temperatura, que são menores que um pixel são obtidas pelas variações de leitura de cada pixel em várias iterações.

A imagem do Buraco Negro M87 é histórica, mas é um 14 Bis, com a diferença é que nós sabemos como fazer um Concorde: Temos hoje a tecnologia para montar um radiotelescópio no lado oculto da Lua e ao invés de 10000Km teremos um radiotelescópio virtual de 300 mil km de diâmetro. O céu literalmente não é o limite.

Esse trabalho com certeza renderá um Nobel, e irá para o EHT como um todo, mas mesmo assim é pouco. É uma conquista de toda a Ciência, do Diretor do Projeto à tia do café, e sendo realista todos os envolvidos darão muito mais crédito à tia do café.

(Fonte: Carlos Cardoso ) - 16/04/2019
Google dissolve conselho de ética em inteligência artificial

O Google, da Alphabet, anunciou na quinta-feira a dissolução de um conselho que tinha formado uma semana antes para considerar as questões éticas em torno de inteligência artificial e outras tecnologias emergentes.

O conselho encontrou controvérsias sobre dois de seus membros, de acordo com o portal de notícias online Vox, que relatou a dissolução pela primeira vez.



Google tem acesso a incontáveis dados dos usuários
Foto: Hannah McKay / Reuters

O conselho, iniciado em 26 de março, deveria fornecer recomendações para o Google e outras empresas e pesquisadores que trabalham em áreas como o software de reconhecimento facial, uma forma de automação que provocou preocupações sobre preconceito racial e outras limitações.

O Conselho Consultivo Externo de Tecnologia Avançada de oito membros (ATEAC) incluiu especialistas em tecnologia e em ética digital.

"Ficou claro que no ambiente atual, a ATEAC não pode funcionar como queríamos. Então, estamos dissolvendo o conselho e voltando à fase anterior", disse um representante do Google em um comunicado enviado por email.

A matéria da Vox informou que funcionários do Google assinaram uma petição pedindo a remoção de um dos membros por comentários sobre pessoas transexuais, e acrescentou que a inclusão de um executivo de uma empresa de drones levantou o debate sobre o uso da AI do Google para aplicações militares.

(Fonte: Reuters) - 08/04/2019
A falsa herdeira que enganou a alta sociedade de NY e deixou um rastro de golpes no valor de milhares de dólares

Anna Sorokin se apresentava com nome falso, morava em hotéis cinco estrelas, frequentava festas exclusivas, vestia roupas de grife, viajava em jatos privados e distribuía gorjetas de US$ 100 (R$ 388).

Ela se apresentava como Anna Delvey, herdeira alemã de uma fortuna de 60 milhões de euros (cerca de R$ 261 milhões), e em pouco tempo conquistou a alta sociedade de Nova York. Morava em hotéis cinco estrelas, frequentava festas exclusivas, vestia roupas de grife, viajava em jatos privados e distribuía gorjetas de US$ 100 (R$ 388).

Nome verdadeiro de Anna Delvey é Anna Sorokin; ela tem 28 anos, nasceu na Rússia e não tem dinheiro algum
Foto: BBC News Brasil

Mas segundo o gabinete do procurador de Manhattan, Cyrus Vance, seu nome verdadeiro é Anna Sorokin, ela tem 28 anos, nasceu na Rússia e não tem dinheiro algum.

A trajetória da falsa herdeira que virou queridinha da elite nova-iorquina e ao longo de dez meses deixou um rastro de vítimas de calotes no valor de US$ 275 mil (cerca de R$ 1,06 milhão) tem sido detalhada em reportagens na imprensa americana e em breve deve virar série da Netflix criada por Shonda Rhimes, a produtora por trás de sucessos como Greys Anatomy e Scandal.

"Sua suposta conduta criminal vai de fraude com cheques a centenas de milhares de dólares furtados por meio de empréstimos e inclui esquemas que resultaram em uma viagem gratuita ao Marrocos e voos em jatos privados", disse Vance ao apresentar acusação formal contra Sorokin, em outubro de 2017.

Presa desde 2017 na ilha de Rikers, onde fica o principal complexo penitenciário de Nova York, ela agora responde a julgamento por furto qualificado e outras acusações.

Série de golpes
Segundo o gabinete do procurador de Manhattan, Sorokin lesou hotéis, empresas, bancos e amigos em uma série de golpes entre novembro de 2016 e agosto de 2017. Ela circulava com desenvoltura pelo mundo da moda e das artes plásticas e dizia ter planos de criar um clube privado de artes, que se chamaria Fundação Anna Delvey.

Ao justificar a necessidade de empréstimos, alegava dificuldades burocráticas de movimentar sua fortuna da Europa para os Estados Unidos. Em novembro de 2016, usou extratos e documentos bancários falsos na tentativa de obter empréstimo de US$ 22 milhões (cerca de R$ 85 milhões) para abrir o clube de artes em Manhattan. O valor foi negado, mas ela obteve um adiantamento de US$ 100 mil (cerca de R$ 387 mil).

Sorokin usava cheques sem fundo para movimentar dinheiro entre contas de bancos diferentes e então fazer retiradas antes que o cheque fosse devolvido. Em certa ocasião alugou um jato particular no valor de US$ 35 mil (cerca de R$ 136 mil) e nunca pagou a empresa proprietária.

Uma de suas vítimas, Rachel Williams, relatou em artigo para a revista New York Magazine como foi convidada por Sorokin para uma viagem ao Marrocos com todas as despesas pagas. Quando o cartão de débito de Sorokin foi recusado, e ela pediu a Williams que usasse o seu, prometendo que reembolsaria a amiga.

Williams pagou mais de US$ 62 mil (cerca de R$ 240 mil) durante a viagem, incluindo o aluguel de uma vila de luxo com piscina privada e mordomo. Nunca foi reembolsada.

Anna Sorokin tem mais de 55 mil seguidores no Instagram
Foto: Reprodução/Instagram / BBC News Brasil

Defesa
No julgamento em Nova York, iniciado no fim de março, o advogado de defesa, Todd Spodek, disse ao júri que sua cliente estava apenas buscando ganhar tempo até que pudesse criar um negócio bem-sucedido e pagar suas dívidas.

A acusação pretende chamar cerca de 25 testemunhas durante o julgamento, previsto para se estender até a metade do mês.

Sorokin tem chamado a atenção pelas roupas que vem vestindo no tribunal, de grifes como Yves Saint Laurent e Miu Miu. Segundo relatos da imprensa, ela conta com a ajuda de uma estilista.

Em duas ocasiões, chegou a se atrasar em meio a uma crise por não concordar com as roupas que recebeu para vestir, e foi repreendida pela juíza.

Caso seja condenada, Sorokin pode pegar até 15 anos de prisão. Ela também corre o risco de ser deportada para a Alemanha, por ter permanecido nos Estados Unidos após o fim de seu visto.







SEGA revela detalhes do Mega Drive Mini

Com 40 jogos na memória e lançamento marcado para setembro, detalhes do Mega Drive Mini revelam que o console deverá ser muito melhor do que alguns poderiam imaginar.

Há praticamente um ano a SEGA revelou que estava voltando ao mercado de hardware e embora isso não significasse a criação de um Dreamcast 2 ou algo parecido, muita gente ficou empolgada com a ideia da empresa de, seguindo os passos da sua outrora rival Nintendo, lançar uma miniatura do Mega Drive.

Eis que depois de uma longa espera, eles divulgaram vários detalhes sobre o console que terá apenas 55% do tamanho do Model 1 e no geral podemos dizer que o aparelhinho é bem mais promissor do que muitos imaginaram. A começar por aqueles que estão trabalhando na sua criação. Se inicialmente tal tarefa ficaria a cargo da AtGames, empresa esta conhecida pelo criticado SEGA Genesis Flashback lançado em 2017, agora sabemos que a responsável será a M2, mesma companhia que adaptou muito bem diversos clássicos que apareceram nos selos SEGA AGES e SEGA 3D Classics Collection.

Outra boa notícia é que não teremos que esperar (muito) para colocarmos as mãos no Mega Drive Mini, já que o seu lançamento foi marcado para o dia 29 de setembro, com o seu preço tendo sido fixado em US$ 79,99. O valor pode parecer um pouco alto, mas temos que lembrar que ele é exatamente igual ao que foi cobrado pelo Super NES Classic Edition e que o videogame da SEGA também virá com dois controles.

E por falar em controles, aqui cabe uma reclamação. Ao contrário do que os japoneses receberão ao adquirirem o Mega Drive Mini, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos a miniatura virá com controles com apenas três botões, igual aquele modelo que acompanhava o videogame nos seus primeiros anos de vida. É uma pena, pois o controle com seis botões era muito melhor e como a entrada do videogame será USB, nem poderemos utilizar um controle original do Mega Drive.

Já em relação aos jogos, por enquanto só temos a comemorar. Apesar da SEGA só ter divulgado 10 dos 40 títulos que virão na memória das versões americana e europeia do console, a lista inicial é surpreendentemente boa. Confira:

Altered Beast
Castlevania: Bloodlines
Comix Zone
Dr. Robotniks Mean Bean Machine
Ecco the Dolphin
Gunstar Heroes
Shining Force
Sonic the Hedgehog
Space Harrier 2
ToeJam & Earl

Desses acredito que o maior destaque seja o Castlevania: Bloodlines. Até hoje exclusivo do Mega Drive, esse título acabou se tornando extremamente raro e será muito bom ter a oportunidade de jogá-lo novamente de maneira legal. Além disso, a sua disponibilização no videogame fez aumentar a minha expectativa por tal jogo estar presente na Castlevania Anniversary Collection, o que faria ele se tornar ainda mais acessível ao grande público.

Sendo ligado a TV por um cabo HDMI e alcançado uma resolução 720p, o Mega Drive Mini tem tudo para se tornar um grande sucesso de vendas, mas o que não sabemos ainda é como funcionará o seu hardware. O mais provável é que os jogos rodem por emulação, o que particularmente não vejo como grande problema principalmente pelo envolvimento da M2. Contudo, isso evidentemente só vale para o caso do trabalho feito não ser tão ruim quanto o que a Sony entregou com o seu PlayStation Mini.

Daqui a alguns meses saberemos se a SEGA acertou, mas no momento posso dizer que estou muito empolgado para pegar uma unidade deste Mega Drive/SEGA Genesis Mini.

Listando: 5 de 929

Anuncie

Sobre o Portal no Brás

O Portal no Brás foi lançado em 01 de dezembro de 2016, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região NO BAIRRO DO BRÁS no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de ferramentas e ferragens.